O Serviço conta com toda infra-estrutura para o diagnóstico e acompanhamento desses pacientes, visando a detecção precoce do glaucoma, e monitoramento criterioso para a modulação do tratamento e controle da doença.
Setor especializado, realizado por  especialistas clínicos e cirúrgicos em Glaucoma.
São vários os tipos de glaucoma, cada um com suas características próprias, seu mecanismo peculiar e consequentemente necessitando tratamentos distintos e personalizados.

Na maioria de casos, não há nenhum sinal de advertência, principalmente no início da doença.

Nos estágios mais avançados alguns sintomas podem ocorrer: perda da visão lateral (chamada também visão periférica); ver anéis coloridos ou halos em torno das luzes e cefaléia e dor nos olhos;
O glaucoma pode afetar pessoas de todas as idades. É a causa principal de cegueira em americanos e africanos.
As pessoas com mais risco são: com antecedentes familiares de Glaucoma; Diabéticos e portadores de Alta Miopia.

O mais comum é chamado o glaucoma de ângulo aberto. Este tipo de glaucoma representa cerca de 90% de todos os casos. Outros tipos incluem oglaucoma de ângulo fechado, o glaucoma congênito, os glaucomas secundários e o glaucoma de pressão normal.
A melhor maneira de detectar o glaucoma é fazer exames regulares e completos do olho, periodicamente.

 

EXAMES PRINCIPAIS:

a)    Gonioscopia
b)   Papilografia Digital Estereoscópica
c)    Campimetria Computadorizada
d)    Paquimetria
e)    Curva Tonométrica
f)     Tomografia de Coerência Óptica
g)    Tomografia de Coerência Óptica de Segmento Anterior

Atualmente possuímos o OCT de domínio espectral da Heidberg Engeeniring que mede a espessura da camada de fibras nervosas. Este exame pode se realizar de forma não midriática.
Os módulos de acompanhamento com Eye-tracker e o Assymetry Analysis fazem o seguimento muito confiável.
Pode ser também realizar no OCT de domínio espectral da Heidberg Engeeniring o módulo de segmento anterior para avaliar o ângulo. A avaliação do ângulo é fundamental para o diagnóstico de glaucoma de ângulo fechado. Ela deve ser feita por gonioscopia (avaliação do ângulo).

TRATAMENTO:

A principal arma para o tratamento do glaucoma é a redução da pressão intra-ocular.
Conseguir uma pressão intra-ocular que seja segura e que não haja perda visual é uma tarefa individualizada e varia enormemente de paciente para paciente.
Os tratamentos são individuais, variando de acordo com o quadro clínico do paciente de pessoa à pessoa. Incluem:

– Medicações (colírios ou comprimidos);
Tratamento a Laser: (Iridotomia e Trabeculoplastia a Laser)
Cirurgia de Glaucoma

A cirurgia de glaucoma está indicada nos caso em que a pressão intra ocular não reduz com o uso de colírios ou aplicação de laser e glaucoma está em progressão.

O objetivo da cirurgia de glaucoma não é recuperar a visão perdida, mas sim evitar que o paciente perca mais ainda a visão.

Em nosso olho há um líquido chamado humor aquoso que, quando em grande quantidade, provoca o aumento da pressão intra ocular.
O objetivo da cirurgia é criar uma fístula, ou seja, uma drenagem artificial para esse líquido que está em excesso e assim reduzir a pressão intra ocular. A técnica mais utilizada é a Trabeculectomia.
Nos casos em que a cirurgia convencional não proporcionou um resultado satisfatório para o controle da pressão intra ocular, indicam-se outras técnicas como a colocação de implantes de drenagem.
Nos casos de glaucoma congênito, as cirurgias realizadas podem ser a Trabeculotomia e Goniotomia.
E nos casos de Glaucomas que refratários a medicação para abaixar a pressão (colírios e comprimidos) pode ser necessário realizar procedimentos mais agressivos como a ciclofotocoagulação e a ciclocriocoagulação. Geralmente, esse pacientes apresentam olhos dolorosos, pressão muito alta e uma visão muito baixa.
Infelizmente o Glaucoma ainda não tem cura, mas a cegueira por ele causada pode ser impedida pela descoberta precoce da doença, seguindo-se à risca o tratamento apropriado.

Equipe Médica:
Camila Netto, MD